sexta-feira, novembro 28, 2008

Sexta em NY

Ontem foi feriado, dia de Ação de Graças aqui nos EUA. Para entender um pouco dessa comemoração, recomento ler um post que o genial Pedro Doria escreveu aqui. Em NY, tão tradicional quanto comer peru e torta de maçã na última quinta de novembro é assistir ao desfile de balões promovido pela loja Macy's. As bandas marciais são realmente muito boas, mas o desfile não é tão legal quanto eu imaginei: é um 7 de setembro melhorado. As crianças que pareciam adorar, ficavam eufóricas cada vez que passava um balão de algum desenho famoso. Tinha que ver quando o Bob Esponja apareceu.


Ah, o alerta de atentado terrorista pode ter assustado alguns, mas mesmo assim havia milhares de pessoas assistindo o desfile.

terça-feira, novembro 25, 2008

Placa da terça


Essa é a minha situação atual: trabalhando. Nove horas no Safra e mais umas cinco nos trabalhos da faculdade. O primeiro eu já acabei e enviei hoje para o professor. Já o outro... fiz pouco mais da metade, e meu prazo final é dia 26, quarta-feira!

Essa semana vai ser curta pois quinta é o dia de ação de graças. Eu queria poder escrever um post mais longo falando sobre esse típico feriado americano, mas o trabalho da faculdade não vai me deixar :-(

segunda-feira, novembro 24, 2008

De volta a Norwich

Ontem acordei cedo e peguei o ônibus dos chineses malucos pra ir até o Mohegan Sun, resort que me empregou entre 2006 e 2007 - esse foi o motivo que me fez escrever esse blog. Que saudade que eu estava de lá!

Ao chegar encontrei a Beth, uma senhora muito simpática que trabalhava comigo, conhecida dos brasileiros por sempre oferecer carona, e que depois que voltei para o Brasil me mandava emails de vez em quando. Ela ficou tão feliz em me rever que me convidou para passar o dia de ação de graças com ela e os filhos, dá pra acreditar? Além dela eu também pude rever outros ex-colegas, embora alguns já tenham se aposentado ou trocado de emprego.

Também foi muito legal pegar a linha 7 do "ônibus municpal" de Norwich e rever a cidade. Desci no Shop Rite, que é o mercado que fica na frente da minha ex-casa e que é *MUITO* - eu disse muito? - mais barato que qualquer coisa aqui em Nova Iorque. Ah, e o melhor, eles vendem produtos brasileiros! Claro que eu aproveitei pra comprar um monte de coisas: guaraná Antártica, pão-de-queijo Yoki, suco de acerola...

Não foi fácil voltar cheio de sacolas de compras no ônibus para NY, mas com certeza valeu a pena. Agora, estou numa dúvida: será que vou pra Norwich celebrar o dia de ação de graças com uma típica família americana ou fico aqui em NY e vejo a parada com balões na Times Square, que nem aquela cena do primeiro Homem-Aranha?

domingo, novembro 23, 2008

Isso é Nova Iorque

sábado, novembro 22, 2008

Drops

* Aumentaram minhas chances de ganhar um XBox 360: acabei um dos trabalhos. O outro, embora já esquematizado na minha cabeça, vai ser um pouco mais difícil.

* Agora eu não quero só um video-game, quero também um kit do Guitar Hero (ou do Rock Band) com guitarra, bateria e microfone.

* Até agora estou gostando muito do projeto que estou participando no Safra, pois peguei desde as primeiras etapas e tenho a oportunidade de aprender um monte sobre o funcionamento do mercado financeiro americano.

* Quero ver um filme em IMAX, mas estão passando Madagascar 2 em vez do novo 007.

* Ontem a noite estava -6C na rua. Ainda faltam 11 graus pra bater o recorde de menor temperatura que eu já ví. Neve que é bom, por enquanto, nada.

sexta-feira, novembro 21, 2008

Sexta em NY

Ponte do Brooklyn à noite - Jerrold

Ponte do Brooklyn à noite - Jerrold


A Ponte do Brooklyn é um dos cartões-postais mais conhecidos de NY. Construída no século XIX, ela foi uma das primeiras pontes suspensas do mundo e representou um grande avanço para a engenharia da época, pois seus dois pilares são tão grandes que durante alguns anos eles eram a construção mais alta de todo o continente americano.
Com quase 2 quilômetros de comprimento, a distância que é sustentada apenas pelos cabos é de 486 metros, ou seja, são quase 500 metros sem nenhum pilar atrapalhando a navegação de no rio Hudson. Naquela época era difícil de acreditar que apenas cabos de aço conseguissem sustentar uma ponte tão larga. Infelizmente, uma semana depois da inauguração a ponte estava lotada de pedestres e um engraçadinho resolveu dizer que a ela estava caindo. Houve um tumulto e doze pessoas acabaram morrendo e vários se feriram na confusão. Isso foi há 125 anos e até hoje a ponte está inteira e funcionando (só para comparar, a ponte de Floripa é muito mais nova e já está fora de uso). Milhares de carros passam todos os dias pelas 3 pistas de ida e pelas 3 de volta, além das pessoas e ciclistas que usam a faixa exclusiva.

Eu na ponte do Brooklyn

terça-feira, novembro 18, 2008

O que é legal e o que irrita

Algumas coisas que eu gosto aqui em NY:
* Central Park, toda cidade deveria ter um assim.
* Eletrônicos baratos, é preciso deixar a carteira em casa pra não gastar demais.
* Transporte público que funciona, há 1 estação de metrô em cada esquina.
* Pontos turísticos legais, também há 1 em cada esquina.
* Calefação, ninguém passa frio em casa ou nas lojas. Agora está 1 grau e eu aqui, só de camiseta.

Coisas que eu não gosto ou que já encheram o saco:
* Custo de vida exorbitante, uma pasta de dente custa 6 dólares na Duane Reade.
* Imagine o mundo. Agora, a loja mais careira do mundo. Então, essa é a Duane Reade. Onde tem metrô ou uma atração turística (ou seja, em cada esquina) tem uma Duane Reade.
* Aqui escurece muito cedo!
* Taxistas malucos, até parecem os motoristas de Porto Alegre.
* Chineses, só quem conhece tem noção de como são mal-educados.
* Barack Obama. Podiam dar um tempo e falar um pouco menos dele. Ver um presidente eleito em revistas de fofoca é sinal que o assunto já saturou.

Placa da terça

Atenção, atenção: mais uma série nova no ar! A partir de hoje, todas a terça é dia de placa no Relatos de Viagem (ih, até parece propaganda de supermercado).
Mas que idéia maluca é essa de colocar PLACAS no blog, será que não tinha nada melhor? Bem, err... se eu estou colocando é porque achei que era uma boa idéia. Uma foto de uma simples placa pode ser a oportunidade para se contar uma boa história, e é isso que interessa.



Nunca ouviram falar que do primeiro carro a gente nunca esquece? Pois então, a primeira placa da série não poderia ser outra: é a do meu Oldsmobile de US$ 700, comprado ano passado quando morei em Connecticut. Ah, se eu imaginasse que a burocracia americana ia me infernizar tanto... eu teria comprado o carro mesmo assim!
Para poder legalizar o carro tive que tirar uma Driver's License, que é como eles chama a carteira de motorista, fazer o seguro do carro, licenciar e emplacar. A dificuldade toda foi por causa de um simples erro de quem digitou meus dados quando entrei nos EUA; foram umas 3 semanas até conseguir explicar que eu era eu mesmo.

Bom, e o que é aquela frase embaixo da numeração da placa? Cada estado americano tem um "apelido" que costuma aparecer nas placas dos automóveis. Constitution State é o nickname de Connecticut. Por que? Bom, dizem alguns historiadores que a primeira constituição que se tem notícia foi escrita neste estado em 1639, e como isso enche os moradores de lá de orgulho eles resolveram "emplacar" a frase. Imagina só se no Brasil fosse assim, qual seria o apelido do Rio Grande do Sul?

sábado, novembro 15, 2008

E agora?

Essa transferência pra Nova Iorque via Stefanini me pegou de surpresa, foi tudo tão rápido que até agora eu não estou acreditando direito. Mas isso teve um "efeito colateral": tive que largar a faculdade antes do fim do semestre. Eu estava fazendo 4 cadeiras e em 2 que eu já tinha feito provas e trabalhos consegui dispensa e aprovação. Nas outras 2 consegui negociar com os professores a substituição da prova final por alguma atividade. Não sei se fico feliz ou triste com isso, já que não estou com a mínima vontade de fazer esses trabalhos... Hoje, por exemplo, o dia estava ótimo, 16 graus na rua e um sol que já fazia alguns tempo não aparecia. Faço um dos trabalhos ou saio? Ah, não aguentei e fui pro Central Park! Desde domingo, quando cheguei, eu ainda não tinha ido lá, e hoje era o dia perfeito pra isso. Valeu a pena, mesmo que eu não tenha conhecido nem um quarto do parque, é muito grande!



Quanto aos trabalhos, prometi pra mim mesmo que se eu conseguir acabar os dois E for aprovado, vou me dar um Xbox 360 de presente de Natal. Acho que só assim mesmo eu me motivo um pouco.

sexta-feira, novembro 14, 2008

Sexta em NY

Aos poucos as novidades estão chegado: desde ontem tem um cabeçalho novo por aí. O que, não gostou? Foi o Abner quem fez, tenta reclamar com ele! Se não der, procura o Procon.

Outra novidade está estreiando no exato momento em que você, querido leitor, passa os olhos nesta linha: este post é o primeiro do que pretendo tornar uma série fixa. Vai funcionar mais ou menos assim: coloco 1 ou 2 fotos de algo interessante que eu tenha visto durante a semana aqui em Nova Iorque e conto, de forma resumida, a história por trás das fotos.

Para a estréia, nada melhor do que falar do local onde começei a trabalhar na segunda-feira: o Safra National Bank.

Safra National Bank
Apesar desse nome gringo, o banco faz parte do mesmo grupo de empresas que o Banco Safra do Brasil. Ele foi fundado em 1982 (o ano em que eu nasci!) por Joseph Safra. Se a Wikipedia estiver certa (e muitas vezes ela não está), eu estou trabalhando para um dos bancos mais sólidos dos EUA e um dos maiores da cidade de Nova Iorque. Trata-se de um banco em que para abrir uma conta é necessário um depósito inicial de *vários* milhares de dólares. Por isso, lá dentro todo mundo trabalha engravatado. Inclusive eu. Que coisa, nunca gostei de usar roupa social e agora tenho que vestir terno todo dia. Fazer o que, não se pode ganhar todas.

Safra National Bank
Joseph Safra vem de uma família de origem judaico-libanesa que tem uma longa tradição no ramo, possuindo bancos desde século XIX. Edmond, irmão do Joseph, também possuia um aqui em NY, que acabou sendo vendido para o HSBC há alguns anos. Que mundo injusto. Eu não ficaria triste se eu tivesse sido registrado como Tales Eduardo Safra.

--------------
Queria mais? Então tá: coloquei um monte de fotos no Flickr.

terça-feira, novembro 11, 2008

Primeiras novidades no ar!

Demorou, hein? Finalmente um novo layout, que ainda não é definitivo. Coloquei uma votação aí do lado pra que digam o que acharam: se odiarem esse visual alaranjado eu posso trocar por outro, sem ressentimentos ;-)
Já que eu estava com a mão na massa, aproveitei e copiei do site do Abner o esquema para dizer se gostou ou não do post. Claro que eu dei uma disfarçada e usei outros ícones, assim ninguém percebe que eu roubei dele. Ah, coloquei aí do lado esquerdo mais alguns 'gadgets', que eu acho que ninguém presta atenção ou usa. Mas já que tudo quanto é blog chinelo tem, o meu é que não vai ficar sem.

domingo, novembro 09, 2008

Relatos de Viagem 2.0

Estavam com saudade? Fazia mais de um ano que eu tinha voltado ao Brasil e o blog ficou aqui, semi-morto e abandonado, coitado. Bom, o que importa é que estou de volta aos EUA, dessa vez para uma experiência bem diferente da anterior, já que agora vim transferido pela empresa para trabalhar na minha área profissional.

Pra quem acompanhava o blog antes, as coisas vão mudar um pouco desta vez. Quero fazer uma reforma no visual, vou escrever textos mais curtos e criar algumas colunas fixas. Infelizmente não vou fazer tantos vídeos como em 2006 e 2007: eu perdia muito tempo com isso e, ahg, não tinha retorno nenhum. Quero ver se o pessoal vai comentar, né? Mandem idéias, xinguem, mas escrevam alguma coisa, não dói nada!